Road trip – São Paulo até o Rio de Janeiro

Olá pessoal, esse é o primeiro post aqui no blog sobre “Esterzinha no Brasil 2018”.

Se você veio até aqui através do youtube, assistiu o vídeo e agora quer saber detalhes dessa nossa aventura, é isso que terá ?

Começo de tudo

Eu, Esterzinha, Simon(marido) e amigos gringos, fizemos uma viagem dos sonhos no Brasil. Nossa road trip começou em fevereiro de 2018. Alugamos um carro “Fiat Doblô” no aeroporto de Guarulhos (São Paulo) pela Localiza. Precisavámos de um carro grande, pois estávamos em 6 pessoas mais 6 mochilas enormes.

 

A Doblô comporta 7 pessoas, uma vaga foi para as mochilas. A escolha do carro foi perfeita. Ficamos 10 dias com a Doblô, custou 2.500 mil reais, pegando no aeroporto de Guarulhos(SP) e devolvendo no aeroporto Santos Dumont(RJ). Quando você viaja com mais pessoas é muito legal também essa parte dos custos, pois tudo é dividido.

Primeira parada – MARESIAS – litoral norte de São Paulo

Ficamos num hostel super bacana, o “Maresias Hostel“, ele faz parte da rede “Hostelling International”, presente em vários países, inclusive na Suíça (eu trampo no mais lindo, o de Interlaken hehe). Brincadeiras à parte, ele é lindão mesmo e foi eleito o melhor hostel da Suíça :)))

Foi a segunda vez que fiquei nesse de Maresias e super recomendo. É limpo, acolhedor, funcionários simpáticos, tem muito verde, piscina, lixo separado para reciclar, café da manhã bacana e um bar super retrô (dá vontade de ficar lá o tempo todo rs). Fechamos um quarto para 6 pessoas, com 6 camas e banheiro privativo por 50 reais por pessoa a diária.

Não tivemos sorte com o tempo, choveu e o sol não apareceu de jeito nenhum (ô sofrência).

O que fazer em Maresias quando o tempo não dá para praia?

Há algo maravilhoso para se fazer : TRILHAS. Sem sol e chovendo pouco, você tem uma ótima oportunidade de explorar Maresias trilhando.

Certifique-se de estar bem preparado(a) para fazer trilhas em dias chuvosos, pois a terra molhada requer atenção redobrada dos trilheiros, e claro, bons calçados é essencial para sua segurança.

Fizemos a trilha Paúbas – É uma trilha com um nível de dificuldade baixo, podendo ser feita de 30 à 40 minutos. Essa trilha é para ir até a praia de Paúbas, mas nós fomos mais adiante para conhecer a região e ter uma vista linda do topo.

Como faz para acessar a trilha de Paúbas?

Em Maresias, segue a Avenida Francisco Loup até a ponte. Atravessa -a e entra em uma estradinha de terra – Rua das Gaivotas. Você chegará num condomínio, não estranhe, pode entrar, pois a trilha inicia-se ali.

Depois é só seguir as placas e se aventurar. Vale muito a pena fazer essa trilha, pois você tem uma vista privilegiada da região.

Para voltar a Maresias, há opções de linha de ônibus interpraias. Ou faça como nós, volte pelo mesmo caminho e aprecie tudo novamente, só que agora descendo ?

Hora de partir de Maresias

Estávamos muito tristes com o tempo, pois queríamos sol e praia, afinal estávamos no Brasil, não é mesmo? Partimos de Maresias sentido Paraty – Rio de Janeiro.

De repente na estrada o tempo abre e o sol aparece. Avistamos uma praia linda pela estrada a “Praia Peque Peque Grande”.

Decidimos parar para curtir, afinal não queríamos ficar dentro do carro vendo o sol brilhar do lado de fora.

Pensa na aflição da gringaiada?

O que tem de especial na praia Peque Peque Grande?

Deu para perceber que é uma praia mais para moradores, não havia muitos turistas. A praia é linda, limpa e rodeada de verde. Simplesmente perfeita.

Voltando à estrada e chegando em Paraty

Chegamos à noite em Paraty, ficamos em Pontal, numa Pousada em frente à praia, “Pousada Refron du Mar“. Dessa vez cada casal ficou num quarto privativo com banheiro, geladeira, ar condicionado e café da manhã por 150 reais a diária por quarto.

A Pousada é super aconchegante, café da manhã delicioso, funcionários super atenciosos e prestativos. A praia está 10 metros à sua frente e de quebra, os macaquinhos (saguis) vem te visitar de manhã, pois eles também querem fazer o café da manhã ?

Cachaçaria Pedra Branca

Paraty é também super famosa por suas cachaçarias, conhecemos a “Pedra Branca“. O visitante chega e é levado à conhecer todo o processo da cachaça, desde o incío até o engarrafamento da mesma. No final do tour, há uma demostração de todas as cachaças e os visitantes podem experimentar.

Eles  tem uma loja com muita coisa boa, o carro chefe é a cachaça, é claro, e das mais diversas possíveis. Entretanto pode-se comprar outras coisas como doce de leite com coco/maracujá, cocadas, enfeites, lembrancinhas e muito mais.

Há empresas que fazem passeios para as cachaçarias, porém se você estiver de carro, é claro que você deve optar em ir por conta própria afinal é muito fácil de chegar. Apenas siga as placas ?

Trindade

Trindade é um daqueles lugares que foram feitos para você se desligar, sabe? Tranquilo (mesmo com a quantidade absurda de turistas, você consegue entrar na magia do lugar). Os restaurantes costumam ter preços bem acessíveis e come-se muito bem.

Pra você ver que não é somente o lugar, mas também as pessoas que fazem de Trindade um lugar melhor: Em nossa volta para Paraty, demos carona para uma mulher (ela tem uma barraca na praia do Meio).

O ônibus não passou e ela estava toda preocupada com sua filha pequena pois tinha que  buscá-la na escola. Essa mulher ficou tão feliz com a carona que perguntou-nos se podia fazer uma oração por nós no carro.

Imagina como voltamos pra Maresias? Extremamente felizes.

Trilha para Praia do Sono

Façam essa trilha, por favor?? Ela é perfeitaaaaa

Vamos lá para as informações :

Se estiver em Paraty, vá até Trindade e de lá há placas para Praia do Sono.

É necessário atravessar um condomínio privado (o Laranjeiras), sem stress, apenas diga que irá fazer a trilha para praia do sono. Pega o caminho sempre direto para a cidadezinha, não pare em outros estacionamentos vá sempre direto mesmo. Você chegará numa pracinha bem bonitinha, com um ponto de õnibus em frente. ESSE É O FINAL DO CAMINHO DE CARRO.

É obrigatório parar nessa praça para deixar o carro no estacionamento chamado “rua” hehe.  É na rua de verdade, não há estacionamento, os carros ficam na rua. As pessoas que moram lá olham para você por 20 reais o dia. É uma comunidade bem simples, porém super simpática. A maioria são idosos que ficam no banco da praça conversando e assim ganham seu dinheiro como “olheiros” dos carros.

Deu super certo, na volta estava tudo do jeito que deixamos.

A Trilha

A trilha para a praia do sono é lindíssima, encontramos paisagens maravilhosas no caminho. Árvores imensas, muitas borboletas.

No caminho há muitas pedras e descidas. Vá preparado(a) com bons calçados, pois é essencial para ter sucesso na trilha.

A Praia do Sono

A praia é um espetáculo, água limpíssima, ondas gigantes, gigantes mesmoooo…Tem umas pedras enormes e lindas que enfeitam ainda mais o local.

Como foi numa segunda-feira, não tinha qualquer barraca vendendo comida ou bebida. Mas nós, como bons trilheiros, levamos algo para comer e beber, assim ficamos tranquilo nesse paraíso chamado SONO.

Cachoeira do Tobogã

Pelo nome já dá pra imaginar não é mesmo ? Simmmm, você escorregará cachoeira abaixo. Mas calma, será super tranquilo e emocionante. Tem uns guias locais super maneiros que te ajudam e você paga à eles o quando quiser.

Os caras são verdadeiros surfistas de cachoeiras, deslizam em pé. É impressionante. Fora que eles são simpáticos e conhecem muito bem a área.

Além da descida, há também uma cachoeira acima onde você pode entrar. Funciona quase como uma caverna, você fica do lado de dentro de boa (leve camera – é show).

Outra atração de lá, para os aventureiros puladores na água de plantão, é uma pedra enorme. Para ter acesso à ela, é só subir um pouco acima , então encontrá uma ponte. Atravessa a ponte e sobe a pedra.

Eu como não me aventuro muito com água, fiquei só filmando. Mas os caras disseram que não é fácil subir essa pedra e pior ainda é descê-la, pois não tem segurança alguma. Ou seja, se você subir, VAI TER QUE PULAR heheh

 

Hora de partir de Paraty

Nosso próximo destino foi Ilha Grande (terá post específico sobre esse paraíso, logo logo). Vamos agora nesse post pular para a cidade do Rio de Janeiro.

Rio de Janeiro – Santa Teresa

Essa foi a primeira vez que fiquei nesse bairro tão querido, histórico e boêmico chamado “Santa Teresa”. E digo mais, se soubesse que era tão maravilhoso assim, teria ido mais cedo.

Pesquisando na Internet achei essa Pousada da Fernandinha. Gente..QUE ACHAAADOOO, pois não tinha muita informação, e fui de teimosa que sou e também queria experimentar algo novo no Rio.

Agora vocês terão essas informações detalhadas sobre essa Pousada – Paraíso e também meu conselho: VÁ 🙂

 

É um casarão bem no bairro histórico de Santa Teresa. A entrada é igualzinha de uma casa particular, toda fechada, aperte a campainha e entre em outro mundo, melhor, volte no tempo, né ?

A Pousada é a Vila Nossa (Bed an Breakfast) – Ladeira Castro 165 – Santa Teresa. A dona, a Fernandinha, é uma doçura de pessoa, super educada, culta, fala 5 idiomas e nos recebeu tão bem que nos sentimos em casa.

 

 

O café da manhã é espetacularmente maravilhoso, ela pessoalmente que prepara com frutas fresquinhas da feira. Não deixe de provar seu yougurte caseiro.

São poucos quartos disponíveis na casa, porém espaçosos e todos nomeados pelos bairros do Rio (Copacabana, Botafogo e etc), alguns quartos tem varanda com uma vista espetacular para o bairro e prédios distantes.

O que fazer em Santa Teresa?

Há muita coisa pra se fazer nesse bairro que respira cultura, só de caminhar por ele você sente isso.

Escadaria Selarón

A Escadaria Selarón foi feita pelo pintor chileno Selarón. Tão apaixonado pelo Brasil, ele fez essa  homenagem ao país. Começou a montar essa escadaria com azulejos verde, amarelo e azul (as cores da bandeira do Brasil). Depois achou uma loja no Rio que vendia azulejos da Europa para colecionadores. Decidiu então comprar e começou a trocar os azulejos. E assim a escadaria se tornou pouco a pouco, uma verdadeira coleção de azulejos do mundo todo.

Esse aqui é da Suíça 🙂

São no total 2.000 azulejos diferentes. Selarón pinta azulejos em homenagem às pessoas que fizeram história no Brasil sejam elas famosas ou anônimas.

 

 

A escadaria tem 215 degraus.  As pessoas enviavam os azulejos para Selarón e o mesmo o colava na escada e depois Selarón enviava a foto do azulejo colado.

Incrível experiência, não?

Parque das Ruínas

Foi uma época áurea do bairro de Santa Teresa, palco de artistas e intelectuais, comandada por Laurinda Santos Lobo, era um dos mais efervescentes salões da Belle epoque carioca. Plantada num elevado de onde se descortinava toda a cidade, ali estava a casa. Antes era uma casa, agora é um milagre.

Vale muito a pena visitar. A vista é linda (quase 360°) e o salão é uma ótima alternativa para fazer lindas fotos.

Trilha para o Cristo Redentor

Nosso plano foi : Cristo de manhã e Pão de açúcar ao anoitecer.

Como não era nossa primeira nem segunda vez no Cristo, decidimos fazer algo diferente : TRILHAR até ele 🙂

Pois é, há uma trilha que te leva ao Cristo. O nível de dificuldade é pesado. Você precisa estar em boa condição física para subir com sucesso. Não esquecendo dos bons calçados, água para hidratar, fruta, barras de cereais ou algo pequeno para comer.

A Trilha

A trilha começa no Parque Lage (esse parque é sensacional, vale a pena visitar pois é natureza pura no meio da cidade do Rio de Janeiro). Para fazer a trilha, é necessário se registrar com o guarda nessa casinha. Essa é a entrada da trilha.

Com duração de 2h30, a trilha possui muitas subidas, sendo elas longas e íngremes. No caminho há 3 pontos de cachoeiras, dá pra refrescar um pouquinho.

Toda a trilha é feita dentro da mata, podendo atravessar os trilhos que passa o bondinho.

 

 

Chega num momento que precisa escalar uma pedra, mas eles fizeram degraus de ferro e corrente para facilitar a subida. Esses itens ajudaram muito para subir com segurança.

No Topo

Chegando no Cristo, como foi numa segunda-feira, pagamos 13 reais para entrar no monumento. A vista estava boa, foi gratificante subir.

Outra informação importante aos trilheiros: Não existe como comprar bilhete para descer o Cristo de ônibus. É necessário pegar o bondinho (que tem custo alto) ou descer à pé até a primeira estação. E de lá pegar táxi/uber para fazer a descida completa.

Pão de Açúcar

Essa foi a primeira vez que estive no pão de açúcar à noite. Ficamos umas 3 hrs lá em cima, acredito que batemos o record haha . Choveu e continuamos lá. Nosso plano era ver o põr do sol da cidade maravilhosa de um dos pontos mais famosos do mundo.

 

O Simon filmou quando as nuvens saíram do Cristo e deu-se um novo cenário para a vista que outrora cinzenta estava. Mesmo não tendo o pôr do sol, por causa do tempo ruim, foi gratificante demais. Experiência única. Experimente, vai valer muito a pena ver a cidade maravilhosa toda iluminada.

 

 

Caso você queira mais informações ou tenha dúvidas, deixe aqui nos comentários que te respondo.

Obrigada por nos acompanhar nesse primeiro post sobre “Esterzinha no Brasil 2018” – parte 1.

Até o próximo. Beijão

Veja o vídeo abaixo. Tem todos esses passeios que detalhei aqui no post :

5 respostas para “Road trip – São Paulo até o Rio de Janeiro”

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *